De 1894 a hoje

Com o falecimento de Eduardo Barrancos em 1894, o processo de divisão em courelas intensifica-se ainda mais e é nesta conjuntura que o bisavô dos actuais proprietários após ter ganho um prémio na lotaria comprou estas terras, que passando de geração em geração, até à data de hoje, continuam sendo conhecidas como as Courelas da Torre.